Dedos correndo.


Oh, por favor, não me olhe deste jeito! Eu fico envergonhada. E não envergonhada como quando me elogiam, ou quando estão todos prestando atenção, eu me envergonho de mim, agora.
Eu não te esqueci, nem lhe traí, serás para sempre o dom de minha vida. Você sabe, desde que te conheci, nunca considerei-te o único caminho, mas isso você sempre entendeu, não lhe tira importância. Ando sumida ultimamente, mas a culpa não é minha.
Ah, pare com essa carinha de ironia! Okay, talvez a culpa seja minha, não fui atenciosa o bastante com você. 
A vida me tragou por completo, me levou aquela sua leve presença, aquela maneira única com que você me guiava. Eu senti você me puxando pela mão várias e várias vezes, até que parou de puxar.
Eu estava muito ocupada, e com coisas dignas, responsávei, entende? Por favor, entenda.
Eu tenho mais de dez testes, um simulado, depois as provas, um namorado impaciente e eu não sei onde vou parar nessa balança de tentar me acostumar com os novos amigos e jamais deixar arrebentar a corda da amizade com os antigos. 
Bobinha, não deboche assim de mim!
Eu sei, já estive atolada assim antes várias vezes na minha vida e você sempre esteve presente. Eu sei que você não me abandonou por completo, embora esteja um pouco desgostosa.
Há você no meu caderno, não nas matérias, mas nos rodapés rabiscados. Há você quando puxo a caneta e exponho na minha pele um pensamento.
Vamos, sorria para mim de novo, eu jamais te abandonaria de verdade, não vivo sem você. E minha vida não seria nada sem ti. Pega na minha mão de novo, e me mostra o que só você conseguia me fazer ver.

Por favor, Palavras, por favor, Meu Talento de Escrita, desculpa o tempo em que tão ingrata fui! Eu voltei pro teu colo!

4 comentários:

  1. Eu estava assim no ano passado. Acho que todos nós escritores, pseudo-escritores, passamos por isso. Por esses momentos atarefados que deixamos de lado o que mais gostamos de fazer ou aqueles momentos que ela simplesmente vai embora sem dar aviso prévio. Mas uma coisa é certa nisso tudo, ela sempre volta e nós sempre voltamos também, não tem jeito. AMEI o texto! Parabéns pelo blog *-*

    Beijos,
    Monique <3

    ResponderExcluir
  2. Gostei do blog, muito bom mesmo, adoro templates negros... Acho que vc já segue meu blog, mas não deixe de comentar

    http://temtudomega.blogspot.com
    siga, comente e curta no facebook

    ResponderExcluir
  3. Muito, muito bom. Realmente vocês teem dom da escrita, e isso é admirável!
    Vou seguir no tumblr também, apesar de eu ter parado com meus textos desse calibre, gosto muito de ler os de outros.

    Sucesso e obrigada pela visita ^^
    http://sorriaavidaebella.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir